Inicial > Uncategorized > Gerenciamento de projetos em desenvolvimento de software: utilização do PMBOK ou Scrum?

Gerenciamento de projetos em desenvolvimento de software: utilização do PMBOK ou Scrum?

Atualmente existem inúmeras tentativas de se criar um modelo mais adequado para gerenciar projetos em desenvolvimento de software, mas os frameworks ou conjunto de boas práticas como o PMBOK e SCRUM tem sido os mais praticados na comunidade de Gerenciamento de Projetos.

Precisamos inicialmente identificar as características de cada um dos modelos e então analisar de que forma podemos adotá-los em nossa organização.

PMBOK

O PMI (Project Management Institute) define o PMBOK (Project Management Body of Knowledge) ou Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos, como “um padrão reconhecido para a profissão de gerenciamento de projetos” e explana que “… o conhecimento contido nesse padrão evolui a partir das boas práticas reconhecidas de profissionais de gerenciamento de projetos que contribuíram para o seu desenvolvimento”. Resumindo, o PMBOK é um guia não uma metodologia. É composto de processos, técnicas e ferramentas e que podem ser adaptados para diversos tipos de projetos.

O PMBOK possui capítulos organizados em diretrizes para o gerenciamento de áreas de conhecimento: Integração, Escopo, Prazo, Custo, Qualidade, Recursos Humanos, Comunicações, Riscos e Aquisições.

De acordo com o guia, o Gerente de projetos eficaz requer que o gerente tenha as seguintes três características:

– Conhecimento: Refere-se ao que o gerente de projetos sabe sobre gerenciamento de projetos;

– Desempenho: Refere-se ao que o gerente de projetos é capaz de realizar enquanto aplica seu conhecimento em gerenciamento de projetos;

– Pessoal: Refere-se ao comportamento do gerente de projetos na execução do projeto ou de alguma atividade relacionada. A efetividade pessoal abrange atitudes, principais características de personalidade e liderança; a capacidade de orientar a equipe do projeto ao mesmo tempo em que atinge objetivos e equilibra as restrições do mesmo.

De acordo com o PMI, o guia PMBOK é o padrão para gerenciar a maioria dos projetos na maior parte das vezes em vários tipos de setores econômicos. Desta forma, o Gerente de Projetos pode aplicar os conhecimentos indicados no PMBOK em quaisquer projetos da indústria ou segmento organizacional. 

SCRUM

Concebido inicialmente com um estilo de gerenciamento de projetos em indústrias de consumo e automobilísticas, o SCRUM tem sido utilizado como função primária na utilização para o gerenciamento de projetos de desenvolvimento de software.

O SCRUM possui uma estrutura de processo que contém grupos de práticas e papéis pré-definidos. Esta estrutura é sua principal característica e possui os seguintes papéis:

– Responsável pelo Projeto(ScrumMaster), responsável por manter os processos alinhados;

– Proprietário do Produto(Product Owner), responsável por representar as partes interessadas(stakeholders);

– Equipe (Team), composto por um grupo multidisciplinar responsáveis pela análise, projeto, implementação, teste e outras atividades do projeto.

Possui os seguintes valores: Transparência, ser empírico, auto-organização, integridade = assim que perceber algo, faça algo e entrega de valor. Pode ser aplicado em qualquer contexto no qual um grupo de pessoas necessitem trabalhar juntas para atingir um objetivo comum.

Em resumo, ambos não são metodologias e sim guias contendo processos e técnicas sugeridas para se obter melhores resultados em projetos.

O PMI recomenda uma análise do tamanho e tipo do projeto para então decidir quais processos devem ser aplicados, pois a utilização de todo o conjunto poderia impactar em alguns dos objetivos do projeto, principalmente em relação ao prazo.

O SCRUM tem ganho adeptos na utilização de pequenas equipes de trabalho e para projetos de menor extensão. Existem diversas divergências sendo abordadas nas práticas indicadas no PMBOK e SCRUM entre a comunidade de responsáveis pelos projetos de desenvolvimento de sistemas. Discussões de onde cada um dos modelos trazem benefícios, onde são conflitantes e até onde se complementam e podem atuar juntos.

O indicado é que os responsáveis pelos projetos de software conheçam as práticas de ambos frameworks, identifiquem de forma clara a necessidade do cliente e/ou solicitante e crie mecanismos que poderão ser traduzidos em uma metodologia interna à organização para aplicar em seus respectivos projetos. Entre os fatores que irão auxiliar no melhor modelo a ser adotado estão as exigências das características do negócio, o prazo, os recursos(humanos e materiais) e principalmente o bom senso do Gerente de Projetos nos processos a serem aplicados aos entregáveis e produtos do projeto. 

  1. 09/09/2016 às 17:19

    Realmente, não é obrigatório que um elimine o outro. O uso do Agile é sem dúvida mais dinamico, mas alguns controles do PMBOK são importantes.

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: