Arquivo

Posts Tagged ‘Java’

Boa Vista divulga vagas de estágio para Desenvolvedor de Sistemas

A Boa Vista SCPC é uma empresa brasileira que alia inteligência analítica à alta tecnologia para transformar dados em soluções para os desafios de clientes e consumidores.

A BVTec, centro de inovação tecnológica da Boa Vista SCPC, instalado no campus do Univem, está com 3 vagas de estágio para área de Desenvolvimento de Sistemas.

#vempraBoa!

(DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS)

Área: Desenvolvimento de Sistemas.
Principais atividades:

– Atuar no desenvolvimento de soluções de software relacionadas às iniciativas de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e inovações tecnológicas;

– Participação no ciclo do processo de desenvolvimento (requisitos, análise, modelagem, usabilidade, implementação, testes e integração).

Requisitos:

– Cursando ensino superior em Ciência da Computação, Sistemas de Informação ou áreas correlatas.

– Conhecimento básico em linguagem de programação (JAVA, PHP, .NET, etc);

– Será considerado um diferencial conhecimento em Bancos de Dados Relacionais, SQL;

– Inglês básico;

– Boa comunicação escrita e verbal;

– Trabalho em equipe.

Remuneração, Benefícios e Vantagens:

A Boa Vista SCPC oferece um programa de benefícios flexíveis, você poderá flexibilizar de acordo com suas necessidades.-

– Assistência Médica;

– Assistência Odontológica;

– Vale Refeição/Alimentação no valor de R$693,00;

– Vale transporte;

– Seguro de vida;

– Convênio SESC;

– Day-off no dia do seu aniversário + ingresso para cinema;

– Bolsa auxílio no valor compatível com o mercado.

Local de trabalho: Marília/ SP

Interessados devem enviar currículo para bruna.scagliante@boavistascpc.com.br

Oportunidade para Programadores Java e Analista de Qualidade de Software

Empresa de Tecnologia com pretensão de instalação no Centro de Inovação Tecnológica de Marília – CITec-Marília sediado no campus do Univem, está com vagas abertas para Programadores Java e Analista de Qualidade de Software.

As vagas são Analista de Qualidade (1), Desenvolvedor Java Jr (2) e Desenvolvedor Java Pleno (2) :

Analista de Qualidade de Software

  • Pré requisitos são formação completa em Técnico ou Superior cursando Ciência da Computação ou Sistemas de Informação;
  • Tenha noções em criação de cenários de testes, avaliação de riscos e ferramentas de automação de testes.
  • Será responsável por garantir a qualidade do software ao usuário final através de testes funcionais, integrados e automatizados.
  • Se destacará quem tiver conhecimento em modelagem de dados, SQL ANSI, Automação, Cenário & execução de testes.

Desenvolvedor Java

  • Pré requisitos são formação completa em Técnico ou Superior em Ciência da Computação ou Sistemas de Informação;
  • Tenha conhecimento e experiência com desenvolvimento Java em plataforma Linux, gerenciadores de banco de dados PostgreSQL/MySQL, experiência com plataformas e metodologias de desenvolvimento de sistemas e Java com orientação a objeto.
  • Será responsável por desenvolver os requisitos dos projetos na tecnologia pertinente.
  • Se destacará quem tiver conhecimento acadêmico em JSF, Hibernate/JPA, conhecimentos em HTML/CSS/JavaScript/AJAX, EJB 3 e/ou Spring.

 

Interessados devem enviar currículo para compsi@univem.edu.br indicando a vaga.

Vaga para Pesquisador Tecnológico

vaga_ciag.jpg

Vaga Estágio em Programação Java

Arte 18.07 - Estagiario de Desenvolvimento.jpg

Vaga para Analista Programador Java

Arte 21.07 - Analista Programador JAVA.jpg

Boa Vista Serviços abre vagas de estágio em desenvolvimento de software

A Boa Vista Serviços, bureau que oferece soluções inteligentes para a tomada de decisões de crédito e gestão de negócios, por meio da BVTec, centro de inovação e tecnologia localizado no campus do Univem, está oferecendo vagas de estágio na área de desenvolvimento de software para os alunos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Área: Desenvolvimento de Sistemas.
Principais atividades: Atuar no desenvolvimento de soluções de software relacionadas às iniciativas de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e inovações tecnológicas; participação no ciclo do processo de desenvolvimento (requisitos, análise, modelagem, usabilidade, implementação, testes e integração).
Requisitos: Graduação cursando  (preferencialmente 2º ou 3º ano); conhecimento básico em alguma linguagem de programação (JAVA, PHP, .NET, etc); será considerado um diferencial conhecimento em Bancos de Dados Relacionais, SQL.
Bolsa-auxílio: Trabalhamos com faixas salarias de acordo com o ano da faculdadeR$700,00 (1º ao 3º ano) até R$950,00 (4º ano).
Horário: Das 09h00 às 16h00 (6 horas de estágio + 1 hora de almoço).

Interessados devem enviar currículo para fernanda.lima@boavistascpc.com.br.

Sobram vagas em Java!

28/11/2014 – Eric de Carvalho e Thais de Oliveira *

A falta de mão de obra qualificada não é um assunto novo em TI. O mercado de tecnologia da informação está cada vez mais aquecido no Brasil, considerado pela ABES (Associação Brasileira de Empresas de Software) o sétimo país que mais cresceu globalmente quando se trata de tecnologia uma média de 15,4% em 2013. No entanto, o país ainda deixa uma lacuna no recrutamento de profissionais qualificados, inclusive para atuar com tecnologias e linguagens específicas, como Plataforma Java, Groovy, Grails, e PL-SQL, que oferecem boas oportunidades e salários atrativos.

Só para os especialistas em Java, por exemplo, a média salarial pode variar entre R$ 2 mil (Júnior) a R$ 7 mil (Sênior) no regime de contratação CLT. A linguagem de programação permite ao profissional atuar com interface gráfica WEB, banco de dados, integrações por serviço (WebServices) e regras de negócio, podendo ser embarcada em diversos dispositivos ou executada em um servidor – a plataforma envolve várias linguagens e ferramentas, e de forma dinâmica, quem transita nesse universo pode prosperar na carreira. É por isso que a linguagem atrai jovens profissionais e agrada diferentes perfis de empresas. Mas mesmo assim, os recrutadores ainda têm dificuldade para encontrar talentos que dominam a tecnologia.

Algumas das razões que prejudicam as contratações são: impaciência, medo e falta de conhecimento técnico. Além disso, a necessidade constante de mudança, a busca por ambientes flexíveis e salários maiores – características dos jovens da geração Y também têm mexido com a cultura de muitas organizações, que buscam se adaptar para reter esse novo perfil, que no anseio de crescer rapidamente na carreira não hesita em trocar de emprego.

Para reter os jovens, muitas empresas investem em programas de flexibilidade de horário, feedback profissional, treinamento, e mesmo assim a rotatividade se mantém expressiva. Em contrapartida, o profissional entre 33 e 40 anos, com perfil sênior/gerencial, domina tecnologias, gestão de negócios, e teme trocar de emprego. Para ele, a troca não está associada apenas ao salário maior, mas à cultura organizacional e à preocupação com o bem estar. Profissionais nesse perfil prezam pelo bom ambiente de trabalho, qualidade de vida e a boa gestão da sua futura área, e a maturidade também se torna um diferencial no mercado.

Certificação ou experiência ?

A falta de conhecimento especializado em Java, fator comum entre os mais jovens, também está associada ao fato de que boa parte das faculdades de tecnologia foca mais no ensino teórico do que no prático, formando profissionais despreparados para o dia a dia do mercado. Por isso, os que pretendem atuar nessa área não podem pensar duas vezes na hora de procurar cursos especializados fora da faculdade.

Entendendo esse problema na formação e no perfil dos profissionais, muitas empresas começaram a escolher jovens talentos não pela quantidade de certificações, mas pela qualidade das suas experiências e amor pela carreira. Algumas preferem contratar profissionais que se mostram curiosos e dedicados pela sua área, pela maior chance de retenção, do que os que possuem muitas certificações e não têm um foco específico. Para elas, a chance do que tem melhores experiências e menos certificados aproveitar o aprendizado e fazer carreira na empresa é maior.

Portanto, para atuar em Java, o profissional de TI precisa não apenas dominar a linguagem, mas decidir em que área quer atuar dentro da tecnologia e se especializar nela, seja com um curso técnico ou pós-graduação. Isso pode ajudar no desenvolvimento profissional ao reforçar e facilitar o aprendizado do processo de ponta a ponta, e se torna um bom diferencial, já que a maioria dos jovens hoje possui apenas conhecimentos superficiais, já que ficam menos de um ano em cada empresa.

(*) Eric de Carvalho e Thais de Oliveira são especialistas de Desenvolvimento e Recrutamento e Seleção para TI da Synchro

Fonte: Computer World – São Paulo/SP

Categorias:Mercado de Trabalho Tags: