Arquivo

Posts Tagged ‘Vestibular’

Matéria do Grupo de Estudos sobre Games do Univem

Na contramão da crise, setor de TI gera mais de 3 mil empregos

Cenário econômico desfavorável não freou o ritmo de desenvolvimento do setor

 

Na contramão da crise, setor de TI gera mais de 3 mil empregos

O mercado de TI tem passado com folga pela crise vivida no país. Atualmente, muitas empresas estão contratando e as perspectivas são boas para o fim deste segundo semestre.
Hoje o país apresenta uma taxa crescente de desemprego, porém o setor de Tecnologia da Informação registrou resultado positivo do emprego formal de 3.319 mil postos entre janeiro e julho de 2015. Em relação ao mesmo período de 2014, houve um aumento de 50%. Os dados são do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (CAGED) e evidenciam o saldo líquido das movimentações do mercado de trabalho. Apenas em São Paulo, cidade principal, responsável pelo efeito favorável da movimentação no setor de TI, foram mantidos 2.604 mil postos de trabalho.
Outro exemplo, são as taxas de crescimento, o ritmo do setor de TI está à frente do projetado para o PIB nacional que, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), recuará 2,8% em 2015, enquanto que a previsão para o mercado de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é de crescimento na ordem de 5%, com perspectiva de movimentação financeira na casa dos US$ 165,6 bilhões, conforme prognóstico da International Data Corporation (IDC), divulgado no primeiro semestre deste ano.
Para Elvis Fusco, presidente da Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação – Asserti, o resultado positivo se deve ao fato de que na crise, as empresas criam novas estratégias para minimizar os custos, maximizar os recursos humanos, econômicos e técnicos. Tudo isso para melhorar os processos e aumentar os resultados. “Esses processos sempre vão ser apoiados pela TI. Qualquer que seja a estratégia de negócio que uma empresa tenha, esta passa pelo alinhamento da TI, ou seja, quanto mais crise houver, mais as empresas de todos os segmentos vão se voltar para a TI e demandar das empresas desse segmento soluções para minimizar a crise”.
Gargalos
A Asserti acredita que o Brasil não perderá investimentos estrangeiros  por conta de problemas com infraestrutura, logística e alto custo de energia.
Elvis Fusco lembra que o mercado brasileiro é o 7º mundial, os investidores continuam acreditando no Brasil e investindo no país. A maioria destes investimentos acaba vindo para o Estado de São Paulo, devido sua maturidade em relação à pesquisa e desenvolvimento, mão de obra e infraestrutura.
Somente neste ano, a Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, anunciou a concretização de 20 projetos. São aportes no mercado de TIC e em diversos outros segmentos da economia que, juntos, geraram mais de R$ 6,9 bilhões em investimentos e mais de 7,5 mil empregos diretos até a primeira quinzena de agosto.
São Paulo
A preferência do investidor estrangeiro por São Paulo é evidente em vários indicadores. Mais de 70% do capital estrangeiro investido em TIC no Brasil é aplicado no Estado. Além disso, 16 das 23 multinacionais do setor instaladas no país estão sediadas na capital paulista.
O presidente da Asserti acredita que o modelo deve ser copiado por outros estados para atrair investimentos e empresas estrangeiras interessadas em se instalar no mercado brasileiro.
“Acredito que se o país estabelecer um padrão mais alto em relação à qualidade de infraestrutura e o ‘Custo Brasil’ for mais competitivo, o Brasil será o líder em investimentos na área de TI.”
Mão de obra qualificada
Márcio Lacs, presidente da Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – Assespro RJ, afirma que os grandes centros do Brasil hoje dispõe de bons profissionais para data center, como projetistas, administradores e operadores. “A internet permite colaboração e atualização continuada, o que em si permite o desenvolvimento profissional.”
Para a Asserti, uma iniciativa importante seria a aproximação das empresas das universidades em modelos de qualificação específica, como a criação de Centros de Inovação Privados nas universidades, em que empresas alocam espaços no campus da instituição, e oferecem treinamentos de capacitação nas tecnologias e processos utilizados por elas. Esse modelo vem sendo utilizado em Marília no Centro Universitário Eurípides (UNIVEM) com as empresas Boa Vista Serviços e Locaweb, que atualmente conseguem absorver os alunos egressos dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas da Informação.
“Pelas demandas específicas de cada empresa de TI, não há como a universidade formar um profissional pronto para atuar nas tecnologias utilizadas. Por isso, acredito que essa aproximação é o caminho para resolver o problema.”
Futuro
A Assespro acredita num forte reposicionamento das empresas em reflexo da conjuntura global propiciada pela nuvem. Também, numa regulamentação trabalhista e fiscal. “Temos que ter mais espaço e facilidade para criar e produzir.”
Para a Asserti, o mercado brasileiro de TI deve se fortalecer ainda mais, nos próximos anos, devido às demandas dos mercados internos e externos e pela existência de entidades fortes no país, que estimulam o crescimento das empresas e da formação de mão de obra, que é o principal insumo para o desenvolvimento do mercado de TI.

Brasil precisa de 750 mil novos profissionais de TI até 2020, aponta Brasscom

Os dados do estudo apontam um direcionamento importante para os muito jovens que ainda não escolheram uma carreira

De acordo com a Brasscom — Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação — até 2020, o setor de tecnologia vai abrir 750 mil novos postos em todo o país. Ou seja, traduzindo para o bom português, há vagas e elas devem continuar crescendo ao longo dos próximos anos. Portanto, os interessados no setor não devem passar por muitos problemas no mercado de trabalho. Porém, o atual estado não é muito animador para as empresas, uma vez que existem poucos profissionais no ramo e estes muitas vezes não estão nada capacitados para ocupar cargos importantes.

Para Rafaela Vita, coordenadora técnica da Klasse! Tech Talents, os dados do estudo apontam um direcionamento importante para os muito jovens que ainda não escolheram uma carreira.

“Com a demanda tão alta, a tendência é que essas vagas sejam disputadas por muita gente. Mais do que nunca, cada vez mais a qualificação será o diferencial e quem estiver disposto a estudar e se especializar. Computadores já são o centro de tudo. São mais práticos, baratos, rápidos para acessar dados e arquivos. Por isso que é fundamental estar preparado para esta demanda: As empresas buscam economia de espaço, de tempo de trabalho, de investimentos e gastos, então, é necessário ter a ponte certa entre o empregador e o candidato”, completa Rafaela.

COMPSI – Computing and Information Systems Research Lab

Computing and Information Systems Research Lab – COMPSI, laboratório de inovação e pesquisa em Computação e Sistemas de Informação que congrega atividades ligadas à prática docente e discente dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Centro Universitário Eurípides de Marília.

Número de contratações supera demissões no setor de TI no 1º semestre

Na contramão das altas taxas de desemprego, resultado do momento econômico do pais, o setor de Tecnologia da Informação registrou resultado positivo do emprego formal em 3.319 mil postos entre janeiro e julho de 2015. Os dados foram divulgados pelo Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (CAGED) e evidenciam o saldo líquido das movimentações do mercado de trabalho, isto é, o número de contratações menos o de desligamentos, em todo o Brasil. Apenas em São Paulo, principal responsável pelo efeito favorável da movimentação no setor de TI, foram mantidos 2.604 mil postos de trabalho.

De acordo com análise elaborada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o estado figura no topo do ranking sobre o fluxo do emprego para trabalhadores em empresas de Tecnologia da Informação no País, sendo Santa Catarina, com uma diferença de 1.440 mil, o segundo estado com saldo positivo (1.164).

Os números do CAGED, em que se consideram todos os demais segmentos da economia, apontam que no Brasil foram fechados 494.386 mil postos de trabalho nos primeiros sete meses do ano; somente em julho foram 158 mil, sendo este o quarto mês consecutivo de movimentação negativa na economia nacional.

O ritmo de crescimento do setor de TI, um dos poucos em que as admissões prevaleceram, continua à frente do projetado para o PIB nacional que, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), recuará 2,8% em 2015, enquanto que a previsão para o mercado de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) é de crescimento na ordem de 5%, com perspectiva de movimentação financeira na casa dos US$ 165,6 bilhões, conforme prognóstico da International Data Corporation (IDC), divulgado no primeiro semestre do ano.

“Temos afirmado que o setor é superavitário com conhecimento de causa. Tecnologia da Informação continua associada à concepção de pleno emprego, cuja manifestação não se esgota no preenchimento dos postos de trabalho, ao contrário, tem ressonâncias no grau de investimento do setor”, afirmou Antonio Neto, presidente do Sindpd (Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo) e da CSB (Central dos Sindicatos Brasileiros).

Segundo Neto, o ponto de análise do cenário favorável é o volume de acordos de Participação nos Lucros e/ou Resultados firmados com as empresas de TI em 2015. O programa, cuja apresentação tornou-se obrigatória na Convenção Coletiva de Trabalho deste ano, além de contribuir à valorização e retenção dos recursos humanos, é importante sinalizador da partilha dos rendimentos do setor.

Desde o começo do ano, o Sindpd firmou aproximadamente 1 mil acordos de PLR, que devem beneficiar mais de 70 mil trabalhadores do setor. Segundo levantamento do Sindicato, nesta amostragem há empresas que estão procurando a Entidade para repactuar acordos, já que os resultados ultrapassaram as metas corporativas.

O setor também registra avanço na geração de vagas. De acordo com a consultoria Catho, o segmento de Tecnologia da Informação registrou um aumento de 44,2% na demanda, considerando o primeiro semestre do ano. Somente no mês de junho foram abertas 10.105 oportunidades de trabalho, um aumento de 3.640 em relação ao mesmo período de 2014. Segundo análise da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), há um déficit de 45 mil profissionais, soma que chega a 35 mil apenas em São Paulo.

*Com informações do SINDPD/SP

Alunos de Computação do Univem vencem a fase regional da Maratona de Programação

Alunos do curso de Ciência da Computação do Univem venceram a fase regional da Maratona de Programação. A competição aconteceu no dia 12/09, em Marília nos laboratórios do Univem. Quatro times do Univem participaram, orientados pelo Prof. Rodolfo Barros Chiaramonte, coach dos alunos. O time campeão do Univem é formado pelos alunos do 3º ano, Cláudio Costa, Fernando Franco e Rafael Anselmo Cavalieri.

Equipe vencedora e professores do Univem

Equipe vencedora da Maratona de Programação e professores do Univem

Além dessa conquista, outro time formado por alunos do 2º ano de Ciência da Computação do Univem conquistou o 3º lugar, formado pelos alunos Frederico Soares da Silva, Marina dos Santos Beretta e Matheus Ferraroni Sanches. Participaram da fase regional em Marília, além do Univem, equipes da UNESP de Presidente Prudente e das FATEC de Lins e Garça.

A Maratona é destinada aos alunos dos cursos de graduação e início de pós-graduação na área de Computação e afins (Ciência da Computação, Engenharia de Computação, Sistemas de Informação, Matemática, etc). “É uma honra e motivo de satisfação sediarmos o evento e termos os resultados dos nossos alunos, pois é um reconhecimento da qualidade e seriedade da nossa instituição”, destaca o professor Elvis Fusco, coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

Promover a criatividade, capacidade de trabalho em equipe, busca de novas soluções de software e habilidades em resolver problemas sob pressão são os objetivos da competição. De ano para ano, a Maratona tem sido uma espécie de vitrine para que instituições e, principalmente, grandes empresas da área, valorizando os alunos que se destacam.

Equipes do Univem que participaram da Maratona de Programação

Equipes do Univem que participaram da Maratona de Programação

A organização da fase regional esteve sob responsabilidade do Computing and Information Systems Research Lab (COMPSI), núcleo de pesquisa e extensão ligado aos cursos de Ciência da Computaçãoe Sistemas de Informação do Univem. Todas as informações podem ser conferidas em https://www.univem.edu.br/compsi/maratona2015.

A coordenação dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação parabeniza todos os vencedores da competição, desejando muito sucesso em sua carreira acadêmica e profissional.

Univem realiza VIII Semana de Tecnologia da Informação

Acontece dos dias 08 a 12 de setembro a VIII Semana de Tecnologia da Informação do Univem, evento organizado pelos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação em parceria com o COMPSI (Computing and Information Systems Research Lab) e a ASSERTI (Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação).

Evento que já é tradição entre os profissionais, empresas e alunos da área de Tecnologia da Informação (TI) da região, esse ano traz algumas novidades para os estusiastas por tecnologias principalmente os empreendedores com perfil de inovação em TI e aqueles aficionados por tecnologias de desenvolvimento de software.

Empreendedorismo em TI, Startup, Canvas, Pitch, Devops, Computação em Nuvem, tendências de tecnologias para desenvolvimento de sistemas para Web e Dispositivos Móveis são alguns dos temas que serão tratados neste ano na Semana de Tecnologia da Informação.

Seu objetivo é proporcionar o intercâmbio tecnológico entre estudantes, professores, empresários e pesquisadores da área de Tecnologia da Informação, por meio de suas palestras, que visam evidenciar aspectos multidisciplinares, reforçando os elos temáticos presentes na matriz curricular dos cursos, bem como, a atualização técnica dos alunos do UNIVEM e do público em geral, a partir dos minicursos e talks oferecidos durante o evento.

Marília e região vivem um momento especial em relação à área de Tecnologia da Informação e esforços têm sido feitos do Univem em conjunto com a Prefeitura Municipal de Marília e a ASSERTI para trazer para a cidade o Parque Tecnológico que consolidará ainda mais a região como polo de tecnologia e inovação.

Na abertura da Semana de TI no dia 08 de setembro as 19h30, acontece o Seminário “Parque Tecnológico de Marília”, fórum de discussão sobre o tema trazendo autoridades e especialistas no assunto. O seminário começa com as palestras de Horacio Forjaz, ex-diretor do Parque Tecnológico – S. J. dos Campos e do Prof. Johnny Rizzieri Olivieri, diretor de Operações do Parque  Tecnológico de São Josédo Rio Preto, após as palestras haverá uma mesa-redonda para esclarecimento deste importante projeto para a região de Marília.

Como nas outras edições, neste ano o evento apresenta o Recruting Semanati 2015, espaço destinado a empresas que tem a possibilidade de exporem seus produtos e serviços e realizar o recrutamento de alunos e profissionais.

Neste ano acontece novamente a Olimpíada de Informática para Alunos do Ensino Médio em sua 3ª Edição, projeto em parceria com a ASSERTI (Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação) que tem o objetivo de identificar futuros talentos e inspirar os jovens para as carreiras na área da Tecnologia da Informação. Neste ano mais de 150 alunos das escolas públicas e privadas de ensino médio e técnico estão realizando treinamento prepatório para a competição em que os melhores colocados irão ganhar um curso de Formação em Desenvolvimento de Aplicativos para Dispositivos Móveis na plataforma Android e os primeiros colocados ganhãarão um Smartphone Android como ferramenta para realizar o curso.

Outra atração do evento é a fase regional da Maratona de Programação, evento promovido pela Sociedade Brasileira de Computação que acontece no dia 12 de setembro pela 4ª vez na cidade de Marília. Nesta competição alunos da área de TI de instituições de ensino superior do interior de São Paulo testam seus conhecimentos em programação de computadores e os melhores colocados são classificados para a fase nacional da competição.

A novidade neste ano é o Startup Pitch Day – www.univem.edu.br/mariliapitchday, evento de apresentação pública de projetos inovadores em TI. Foram inscritos 16 projetos que tem como base na tecnologia e na inovação. No dia 08 de setembro, os participantes farão a Oficina: “Startup: do Canvas ao Pitch” com Heloisa Palácio que integra o movimento Startup Marília. No dia 11 de setembro, os classificados terão um espaço de apresentação pública do seus projetos perante investidores, jornalistas, empreendedores, parceiros e sociedade em geral.

Grandes empresas como a Boa Vista Serviços, Tray, Locaweb,  Life, Bredas, BRASP, DSIN, TáPago e BizCommerce e a Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação (ASSERTI) também estarão presentes no evento com apoio e stands no espaço Recruiting.

Para fazer sua inscrição e ver a programação completa do evento, acesse www.univem.edu.br/semanati2015.

Para mais informações envie e-mail para semanati@univem.edu.br.

Setor de TI tem vagas sobrando e salários de até R$ 20 mil

Vagas aumentaram mais de 50% em junho, mas profissionais têm que ter qualificação

Em tempos de crise e desemprego, tem um setor que parece um oásis no mercado de trabalho: está sobrando vaga e os salários vão até R$ 20 mil, mas tem que ter qualificação. É o setor de tecnologia da informação, conhecido como T.I. Em junho, as vagas na área aumentaram mais de 50%. Tem até empresa montando cursos para qualificar a mão de obra.

Cícero acabou de completar um curso de um ano e meio em uma empresa de tecnologia e agora foi efetivado. Guilherme Peralta é colega de turma e tem 19 anos. “Meu primeiro videogame eu ganhei quando eu tinha 7 anos. Desde lá eu queria saber como funcionava por dentro, como funcionava um jogo, como eu criava um jogo. Eu fui seguindo esse caminho”, conta.

Foi o primeiro curso que a empresa deu para estudantes saídos do Ensino Médio, em parceria com o Senai. De 900 inscritos, 70 foram selecionados e todos saíram com o emprego garantido lá.

executiva de Recursos Humanos da empresa, Daniela Cabral, conta que a ideia surgiu depois de constatarem que faltava gente qualificada na área. “Existe uma demanda muito grande para os profissionais qualificados no mercado de tecnologia e é por isso que a gente investe em alguns programas de formação de jovens, que ainda não estão preparados, como este que a gente acabou de fazer, recentemente.”

Enquanto muitos setores da economia estão mandando trabalhadores embora, na área de tecnologia falta gente para ocupar as vagas oferecidas. Segundo um levantamento feito por um grande site de procura de empregos, a oferta de trabalhos no setor cresceu 44% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado. Nos seis primeiros meses do ano, foram abertas quase 41 mil vagas. Só em junho, foram dez mil, 56% mais do que em junho do ano passado.

O engenheiro que orienta a turma é o “Júlio Louco”. Trabalha na área há 22 anos e tem conselhos para quem pretende começar. “Não entre só porque é uma área valorizada, ou porque existe déficit de mão de obra qualificada. Tome, conheça e entre porque você gosta. Você vai ao mesmo tempo atender a sua realização pessoal e profissional”, recomenda o engenheiro de pesquisa e desenvolvimento Júlio Wittwer.

As oportunidades são para quem fez curso superior na área, como o de Ciência da Computação, por exemplo, mas também para quem fez cursos técnicos na área de tecnologia da informação.

Fonte: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2015/08/area-de-tecnologia-abre-quase-41-mil-vagas-no-primeiro-semestre-de-2015.html

Edição de julho/2015 do Jornal do Univem

Univem oferece oportunidades para novos talentos na 3ª Olimpíada de Informática para Ensino Médio e Técnico

O Univem (Centro Universitário Eurípides de Marília) está com inscrições abertas para a http://www.univem.edu.br/olimpiada2015. Promovido pelo terceiro ano consecutivo pelos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação, em conjunto com as empresas associadas à ASSERTI (Associação de Empresas de Serviços de Tecnologia da Informação), o evento tem o propósito de inspirar alunos de ensino médio e técnico da rede pública e privada e descobrir talentos que tenham interesse em seguir a carreira na área de TI (Tecnologia da Informação).

O evento tem como principal objetivo identificar talentos para a área, tendo em vista o déficit de profissionais que, segundo a Brascomm – Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, prevê que 80 mil vagas de carteira assinada serão abertas até o fim do ano, das quais apenas 40 mil serão ocupadas, prevendo um agravamento na carência por profissionais de tecnologia no Brasil em 2015.

Segundo o coordenador dos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem e presidente da ASSERTI, Prof. Dr. Elvis Fusco, de janeiro a junho deste ano o número de vagas no setor aumentou 44,2%, só em junho foram abertas 10.105 vagas, 3.640 a mais do que junho do ano passado. ”O mercado de TI é uma das áreas que tem passado com folga pela crise vivida no país, muitas empresas continuam contratando e essa é uma grande oportunidade para os jovens do país”, explica o coordenador do evento.

Os alunos do ensino médio e técnico terão duas semanas de treinamento oferecido pela instituição, para que os conhecimentos básicos de programação de computadores possam ser assimilados de forma que os alunos possam participar da competição.

A novidade desta edição da Olimpíada é, após a competição, oferecer aos melhores colocados um treinamento de Formação em Desenvolvimento para Dispositivos Móveis Android. Segundo Elvis Fusco, esses alunos ganharão um smartphone Android para poderem participar do curso. “Além de revelar grandes talentos para atuar futuramente na área, após o curso de formação em Android, a iniciativa vai também encaminhá-los para estágio em empresas associadas à ASSERTI para continuar a se desenvolver dentro do setor”.

Para Matheus Ferraroni Sanches, aluno atualmente do 1º ano de Ciência da Computação e vencedor da Olimpíada em 2013, a motivação para participar da olimpíada foi, além do treinamento que o Univem ofereceu, também a chance de conseguir um estágio na área que sempre desejou trabalhar. “O treinamento foi muito bom e me deu uma noção muito maior do que eu já tinha”. Matheus começou a estagiar na empresa Boa Vista Serviços antes mesmo de começar o curso superior. Atualmente, ele é bolsista CNPq e faz iniciação científica nos laboratórios do COMPSI, núcleo de pesquisa e prática profissional mantido pelos cursos de Ciência da Computação e Sistemas de Informação do Univem.

As inscrições para a Olimpíada são gratuitas e vão até o dia 28 de agosto pelo site www.univem.edu.br/olimpiada2015. O treinamento preparatório para a competição também gratuito será realizado do dia 31 de agosto a 10 de setembro, nos laboratórios do Univem, no período da tarde, sem custo para os participantes. A competição acontece no dia 12 de setembro.

3ª Olimpíada de Informática para Alunos do Ensino Médio