Arquivo

Posts Tagged ‘Carreira’

Quase metade das carreiras mais quentes de 2013 são de TI

Desenvolvedor de software, analista de sistemas e administrador de sistemas são as três profissões que estarão em alta, de acordo com a rede de televisão CBS.

A rede de televisão e rádio norte-americana CBS listou as 15 carreiras mais quentes de 2013. Do total, seis estão ligadas à Tecnologia da Informação (TI), mostrando que, de fato, profissionais da área têm tudo para destacar-se no próximo ano.

Veja abaixo as carreiras em TI que estarão em alta em 2013 e a listagem geral de profissões.

1. Desenvolvedor de software
É considerada a principal carreira de 2013, segundo a CBS. Desenvolvedores de software e aplicativos ganham, em média, nos Estados Unidos, 44,59 dólares por hora, de acordo com a EMSI e a CareerBuilder. No Brasil, profissionais da área estão ganhando acima da média do mercado por reunirem características técnicas únicas.
Estudo recente da EMSI e da CareerBuilder, que utiliza dados de mais de 90 fontes de emprego, aponta que a busca por esses talentos tem saltado desde 2010 e deverá crescer sobremaneira em 2013.
Mariana Horno, gerente sênior da divisão de Legal, RH e TI, da Robert Half no Brasil, consultoria especializada no recrutamento de talentos, afirma que 2013 mostra uma maior procura, sobretudo, por especialistas em negócios e projetos. “Porém, sem dúvida, os desenvolvedores continuarão sendo um foco importante”, completa.

2. Analista de sistemas
Analistas de sistemas examinam dados, problemas em processos e gerenciam sistemas de computadores. Esse talento pode ganhar, em média, 37,62 dólares nos Estados Unidos.

3. Administrador de sistemas
Os Estados Unidos criaram quase 19 mil postos de trabalho para administradores de rede e sistemas de computadores nos últimos dois anos, de acordo com a EMSI e CareerBuilder. Por aqui, esse talento está sendo cada vez mais requisitado, segundo analistas do mercado.

4. Analista de segurança da informação, desenvolvedor web e arquiteto de rede
Os analistas de segurança da informação, desenvolvedores web e arquitetos de rede de computadores estão em alta. Guilhermo Reis, gerente de Usabilidade da Catho, site de classificados de currículos e vagas de emprego, afirma que empresas estão à procura de profissionais especializados em segurança e essa tendência deve ser intensificada em 2013.

5. Programador
Os programadores de computador desde 2010 adicionaram quase 12 mil postos de trabalho nos Estados Unidos, segundo a EMSI e a CareerBuilder.

6. Administrador de banco de dados
Administradores de banco de dados podem enxergar em Big Data uma grande oportunidade, já que mais dados serão criados e gerenciados. O universo digital chegará em 2020 a 40 zetabytes. Essa carreira estará em alta em 2013 e nos próximos anos.

Abaixo a listagem geral

  1. Desenvolvedor de software
  2. Contador
  3. Analista de pesquisa de mercado
  4. Analista de sistemas
  5. Recursos humanos, treinamento e especialista em relações de trabalho
  6. Administrador de sistemas
  7. Representante de vendas
  8. Analista de segurança da informação, desenvolvedor web, arquiteto de rede de computador
  9. Engenheiro mecânico
  10. Engenheiro industrial
  11. Programador
  12. Analista financeiro
  13. Especialista em relações públicas
  14. Especialista em logística
  15. Administrador de banco de dados

Fonte: http://idgnow.uol.com.br

Palestra: “As áreas de atuação do profissional de TI”

Como alavancar a carreira em 2012

O ano de 2012 chegou e, com ele, toda a motivação de um novo período profissional. Crescer dentro da empresa, mudar para um emprego melhor, alcançar o cargo de liderança tão almejado ou ter o próprio negócio: todas estas são opções para quem deseja crescer na carreira e obter êxito em sua atividade.

Saber exatamente o que busca é essencial. A pessoa necessita ter ideia dos seus pontos fortes e do seu desenvolvimento, assim como qual perfil de organização a atrai. “Ela pode fazer isso estando simplesmente atenta a ela mesma, pesquisando o mercado e, eventualmente, com formações adicionais. Também é válido o recurso de buscar profissionais que a ajudem neste processo, quer sejam consultores de carreira, coaches ou algum profissional de confiança que a desafie a ir mais longe”, indica Susana Azevedo, especialista em coaching para executivos.

O mercado de trabalho é ditado por tendências, baseadas nas necessidades pontuais das empresas. Hoje, com as organizações cada vez mais descentralizadas e com menos distância entre níveis hierárquicos, as competências ligadas à comunicação e gestão de conflitos são importantes, mas uma delas se destaca: a liderança. “Grandes talentos que não disponham de espírito de equipe e capacidade de liderança podem arruinar as organizações. Portanto, as empresas devem estar atentas na escolha de seus líderes para que estes profissionais sejam capazes de oferecer boas orientações e dar continuidade aos negócios”, opina Sandra Lucena Souto, diretora Comercial e de Marketing da ProPay, consultoria em RH. Para ela, uma companhia com problemas de liderança ou com líderes que não estejam preparados, pode ter seus dias contados. “É um risco muito grande”.

Aprimorar os conhecimentos e desenvolver habilidades por meio de cursos e graduações ainda é um ótimo caminho. O mercado atual exige como nunca conhecimento técnico e específico de determinadas funções, e buscar educação profissional é uma alternativa valorizada pelas empresas. De acordo com Dr. Valderes Fernandes Pinheiro, diretor acadêmico da Faculdade Impacta Tecnologia, a pós-graduação se tornou fator determinante para a carreira do profissional. “Cursar um MBA também é importante para pessoas que almejam atuar em cargo de gestão, pois dá uma visão global do negócio da empresa, além de aprimorar questões de liderança”, aponta.

Ainda sobre educação, com a massificação das universidades, atualmente existem inúmeros cursos e faculdades e cabe ao indivíduo saber selecionar qual oferece as melhores opções e recursos para seu objetivo. “Hoje, existem muitas instituições que dizem oferecer um MBA, mas é apenas fachada. O maior foco destes cursos deve ser desenvolver competências de liderança e visão de mercado, mas não é o que ocorre na prática”, relata Dr. Valderes.

Novas tecnologias

Sem dúvidas, dominar este advento nos negócios é essencial. Dia após dia, novidades em soluções tecnológicas surgem no universo corporativo e cabe aos profissionais serem críticos na escolha das tecnologias que usarão e que terão acesso para ganhar mais produtividade e também para reduzir riscos e custos.

“Atualmente, ter acesso às tecnologias mais avançadas é essencial para qualquer modelo de negócio. Além disso, estar atualizado com os assuntos e tendências mais modernas é de grande apoio no momento da tomada de decisão”, diz Sandra.

A tecnologia é uma ferramenta que pode e deve ser usada nas práticas profissionais, não como um fim, mas como um meio, alerta Susana Azevedo: ”A tecnologia não substitui a conversa entre as pessoas, mas aumenta a possibilidade dela ocorrer em situações de distância física, por exemplo”.

Fonte: Como alavancar a carreira em 2012 | Portal Carreira & Sucesso

Categorias:Mercado de Trabalho Tags:

Networking: cinco dicas para desenvolvê-lo

Autor: Caio Lauer
O chamado networking continua sendo uma das principais ferramentas para alavancar a carreira profissional. Criar, desenvolver e explorar a rede de contatos e relacionamentos empresarial auxilia bastante na busca de uma nova posição no mercado de trabalho, além de ser uma fonte rica de informações e sugestões sobre a área de atuação do profissional.

Para se ter uma ideia, segundo pesquisa realizada pela Catho Online  Pesquisa dos Executivos 2011– o networking é a maior fonte para conquistar um emprego. Dos 46.067 profissionais respondentes, 59,4% afirmam que a indicação de amigos foi a maneira para estarem em seus empregos atuais.

Conheça algumas dicas para desenvolver um networking eficaz e aumentar  as  chances de ser indicado para uma oportunidade de emprego:

1.Fontes:

Procurar  ex-empregadores, ex-colegas de trabalho, ex-formandos de turma, clientes, fornecedores, concorrentes, membros de associações de classe, amigos e parentes  é o caminho para formar a rede de relacionamentos.

2.Referências:

Pedir um feedback aos seus contatos mais próximos sobre a qualidade de seu currículo e sobre o modo como o está divulgando ajuda a identificar possíveis falhas e tornar a abordagem ainda mais assertiva.

3.Ampliação:

Para cada pessoa que contatar, peça o nome de alguém que possa oferecer sugestões de como encontrar um novo emprego. É indicado dizer que possui interesse em marcar uma reunião para conversar melhor e ouvir suas sugestões.

4.E-mail:

Ao abordar seus contatos por e-mail, tenha atenção especial na elaboração do texto. Procure enviar e-mails individuais e seja direto, destacando seu interesse em retornar ao mercado de trabalho ou conseguir uma nova colocação.

5.Abordagem:

É importante não exagerar na agressividade e “sair pedindo” um emprego, mas sim um conselho, deixando claro sua disponibilidade para novas oportunidades. Dessa forma, as pessoas se esforçarão para ajudar.

Um networking bem feito sempre traz bons resultados, independente do cargo ou área desejados. Manter uma imagem positiva perante ex-colegas de trabalho, de faculdade e até mesmo amigos e parentes pode fazer com que indicações de oportunidades apareçam de onde menos se espera.

Fonte: Networking: cinco dicas para desenvolvê-lo | Portal Carreira & Sucesso

Categorias:Mercado de Trabalho Tags:

Quanto vale o seu conhecimento?

Ser detentor de muito conhecimento não é sinônimo de alta remuneração. Não estou dizendo que você não deva estudar, muito pelo contrário, conhecimento é a maior arma de um profissional. A questão está em avaliar se o seu conhecimento agrega valor para o ambiente no qual você está inserido. Entender isso é essencial para converter seu conhecimento em valor para você e para a empresa que trabalha.

Trabalho com desenvolvimento de software. Essa área é minha paixão, porém, exige atualização constante, não só no nível tecnológico, mas também nos métodos de construção que estão sempre sendo melhorados. A área é regida basicamente por projetos, onde times são montados para trabalharem juntos por um período. Com essas informações em mente, pense no seguinte: um profissional qualquer domina uma tecnologia que reduz o tempo de produção em 40%. Esse conhecimento irá agregar muito ao projeto, afinal, redução de tempo é redução de custo, logo, o conhecimento sobre essa tecnologia tem um valor maior do que as demais tecnologias.

Ainda analisando a área de desenvolvimento de software, pense por um minuto no caso do Facebook. Se você ainda não viu o filme “A Rede Social”, recomendo que analise com olhos críticos o projeto. Qualquer profissional da área sabe que o Mark Zuckerberg não usou nenhuma tecnologia super secreta para criar o Facebook. Não estou tirando o mérito do fundador do Facebook, afinal, a ideia foi fantástica, mas o mérito está na forma com ele converteu em valor a mesma base de conhecimento que qualquer programador recebe na faculdade. Ou seja, qualquer bom programador poderia desenvolver o Facebook, porém, foi o Mark que converteu esse conhecimento no projeto que o tornou um dos homens mais ricos do mundo.

A conversão de conhecimento em valor pode ser de forma direta ou indireta. No caso de projetos como o Facebook ou até mesmo em consultorias a conversão é direta. Porém, quando somos contratados por uma empresa qualquer, precisamos evidenciar onde o nosso conhecimento este sendo aplicado e como ele está ajudando os produtos ou serviços da empresa, como a remuneração é baseada em reconhecimento, a conversão se dá de forma indireta.

Projetos como Facebook mostram que mesmo um conhecimento de faculdade pode ser aplicado de forma inovadora para gerar valor. Também temos situações onde conhecimentos muito específicos são dominados por poucos, e pelo mesmo motivo que o ouro vale mais do que a prata, esses profissionais são bem recompensados pelo mercado (pelo menos enquanto aquele conhecimento for útil).

A partir de hoje, pense em que você agrega ou pode agregar aos projetos em que está inserido, lembrando que pode ser um conhecimento específico ou um conhecimento básico inovando a sua forma de aplicação.

Fonte: http://www.minhacarreira.com

Categorias:Mercado de Trabalho Tags:

Férias: tempo ideal para investir na carreira

SÃO PAULO – O mês de julho é muito esperado pelos universitários, afinal neste período eles podem aproveitar as férias da faculdade para descansar, sair com os amigos e programar uma viagem.

Enquanto isso, as grandes empresas estão fazendo os ajustes finais para começar a divulgar em agosto os seus respectivos programas de estágio e trainee. Segundo o presidente da Curriculum.com.br, Marcelo Abrileri, as organizações iniciam estes processos seletivos em agosto devido ao fato de que elas levam cerca de quatro ou cinco meses para concluir e formar a sua nova equipe de funcionários.

Diante desse cenário, Abrileri aconselha que aquela viagem com os amigos fique para depois. “Julho costuma ser uma época em que o estudante tem mais tempo para se preparar para futuros processos seletivos. Adiar uma viagem e aproveitar para se aprimorar pode ser interessante para a carreira. Posteriormente, ele poderá colher bons frutos, quem sabe conquistando um bom estágio ou ingressando num programa de trainee”.

Cursos

Os estudantes podem aproveitar esse tempo sem aula para investir em outros pontos que podem auxiliar na busca de uma oportunidade no mercado de trabalho.

“O mês de férias oferece um tempo livre e precioso para o estudante que deseja se preparar melhor e se candidatar a boas oportunidades sair na frente de seus concorrentes. Cursos intensivos em idiomas, por exemplo, podem melhorar o conhecimento em um idioma e, consequentemente, auxiliar em sua empregabilidade. O mesmo conceito pode ser aplicado para cursos de informática, conhecimento este que também pode ser significativo na hora de se decidir por um candidato. Sem contar que o candidato pode se envolver ainda mais em alguns cursos específicos da sua própria área de atuação”, destaca Abrileri.

Emprego

Outra dica de Abrileri é que o estudante passe a investir em alguns pontos que possam trazer vantagens competitivas, como na elaboração de um bom currículo e no desenvolvimento de atitudes comportamentais adequadas em processos seletivos, por exemplo, evitar de falar gírias durante a entrevista com o recrutador. Isso pode ser feito por meio de leitura sobre o tema.

Para finalizar, Abrileri destaca que mesmo que trocar uma viagem de férias exija esforço e dedicação, pode ser muito compensador para o futuro. “É sempre importante pensar nas vantagens que essa atitude trará, além de ajudar no amadurecimento da pessoa que está prestes a entrar no desafiador e competitivo ambiente profissional”, finaliza.

Fonte: InfoMoney

Quase metade das empresas checa redes sociais de candidatos a emprego

Se você tem contas em redes sociais, leia o artigo abaixo do Portal R7 e fique atento aos seus perfis nessas redes, sua identidade e reputação está associada ao conteúdo de suas redes e as empresas não separam o real do virtual, portanto, fique atento.

Quase metade das empresas brasileiras (44%) dizem levar em conta o perfil dos candidatos no Orkut, no Twitter e no Facebook para definir a contratação.

Fotos e informações inadequadas em redes sociais podem prejudicar quem busca uma vaga de emprego.

Segundo pesquisa realizada pela Robert Half, empresa de recursos humanos, quatro em cada dez recrutadores entrevistados checam os perfis dos candidatos. Ao menos 30% deles diriam que o motivo da dispensa seria o descontentamento da empresa com atitudes praticadas na internet.

Outros 25% dos entrevistados dizem não se importar com o que o candidato a uma vaga de emprego faz nas redes sociais. No entanto, 89% dos recrutadores disseram visitar os perfis para conhecer a pessoa. Quase metade faz isso sempre (46%) e 43% só checam o perfil de quem já foi entrevistado.

O advogado trabalhista Marcos César Amador Alves diz que as informações postadas nos sites de relacionamento são públicas e as empresas têm o direito de verificar os perfis.

– Se a própria pessoa publica as informações em sites de relacionamento e as empresas acessam esses dados não é invasão de privacidade porque os dados são públicos.

Além disso, o trabalhador dificilmente consegue se proteger na Justiça caso desconfie que foi excluído de um processo seletivo por alguma escolha da vida particular como, por exemplo, a sexualidade. De acordo com a advogada e doutora em direito do trabalho pela PUC-SP Fabíola Marques, é quase impossível provar que um candidato a alguma vaga de emprego foi discriminado.

– A gente sabe que na prática isso acontece na hora da contratação. Fica quase impossível demonstrar que uma pessoa não foi contratada por algo que ela publicou na rede social.

O estudo foi realizado pela companhia Robert Half, especialista em RH, que entrevistou 2.525 recrutadores e executivos do setor no Brasil, Alemanha, Áustria, Bélgica, Dubai, França, Itália, Holanda, Luxemburgo, República Tcheca e Suíça.

O estudo ouviu 2.525 recrutadores e executivos do setor no Brasil, na Alemanha, na Áustria, na Bélgica, em Dubai, na França, Itália, Holanda, em Luxemburgo, na República Tcheca e Suíça.

O profissional desejado pelo mercado de TI

O profissional desejado pelo mercado de TI

O Uso das Redes Sociais como Estratégia de Marketing e Gestão

Aula sobre Redes Sociais ministrada na disciplina de Inteligência Coletiva do MBA em Marketing e Negócios dos Univem

Como ter sucesso na busca de um emprego na área de TI

Consultoria cita cinco cuidados que os profissionais devem tomar na hora de concorrer a uma vaga

O aquecimento da economia brasileira, somado a um aumento da demanda por tecnologia, contribuíram para a abertura de novas vagas de trabalho na área de TI. O que representa uma excelente oportunidade para quem busca o primeiro emprego no setor ou para quem já atua nesse mercado, mas procura novos desafios.

Antes de sair em busca do emprego ideal, no entanto, os profissionais do mercado de tecnologia precisam aprender algo que não é muito comum a quem atua no setor: fazer seu marketing pessoal. Pelo menos, é o que indica a consultoria especializada em recrutamento Harris Allied.

A seguir, acompanhe cinco dicas que a consultoria dá para quem está interessado em buscar um emprego na área de TI:

1.       Crie uma marca pessoal
Os profissionais devem construir sua imagem e descrevê-la com base em três questões: conhecimentos (habilidades individuais, educação e experiências específicas em determinados negócios ou setores), reputação (como você é conhecido, quem você conhece e o que as pessoas pensam a seu respeito) e apresentação (que inclui o currículo, capacidade de comunicação, relacionamento interpessoal e estilo durante uma entrevista de emprego).

2.      Potencialize seu currículo
Um currículo escrito em tópicos é a forma mais fácil de apresentar conhecimentos e experiências de forma objetiva. Para isso, os candidatos precisam listar todos os projetos e realizações no documento. É importante destacar também resultados importantes obtidos ao longo da carreira.

O candidato deve preocupar-se em usar palavras-chaves no currículo que sejam relevantes para a posição a que ele está se candidatando. Se um trabalho exige conhecimentos específicos, o candidato deve ressaltar isso na parte de resumo inicial. Isso porque, se o documento for colocado em um banco de currículos virtuais, ficará mais fácil achá-lo.

O tamanho do currículo deve ser proporcional ao temo de experiência. No caso de profissionais mais experientes, pode ter até três páginas, mas para um estagiário ou alguém recém-formado que quer entrar pela primeira vez no setor, uma página é suficiente.

3.      Prepare-se para a entrevista
Antes de fazer a entrevista de emprego, o candidato precisa buscar o máximo de informações sobre a empresa e, em especial, as principais iniciativas dela na área de TI. Isso poderá ajudar a demonstrar interesse durante a entrevista e, principalmente, ajudar a se mostrar como alguém ideal para preencher a vaga.

A apresentação do candidato também é fundamental para passar uma imagem adequada. Assim, o profissional deve buscar entender com antecedência a cultura da empresa e, se possível, se vestir da forma mais adequada para a entrevista. Em caso de dúvida, use roupas com tons neutros e que estejam limpas e passadas.

4.       Demonstre seu conhecimento
Durante a entrevista de emprego, o candidato deve aproveitar todas as oportunidades para demonstrar seus conhecimentos. Assim, ao longo da conversa, precisa trazer exemplos reais de seu envolvimento em projetos e de como sua contribuição afetou os resultados finais.

Vale destacar, no entanto, que o profissional de TI deve evitar jargões muito técnicos se ele estiver conversando com uma pessoa de outra área, como recursos humanos, para não ser mal compreendido.
 
5.       Cuide de sua imagem nas redes sociais

Assegure-se de ter um perfil atualizado e completo na rede social LinkedIn. Ao mesmo tempo, visite sua página no Facebook ou no Twitter para apagar fotos ou comentários que possam afetar sua imagem profissional.
 
Além disso, faça uma busca do seu nome no Google para visualizar que tipo de texto, imagem, vídeo, entre outros, aparece. Isso porque, de forma geral, as empresas fazem esse tipo de busca na hora em que vão realizar uma contratação.

Fonte: http://olhardigital.uol.com.br

Categorias:Mercado de Trabalho Tags:,